4 dicas para não faltar dinheiro no caixa

4 dicas para não faltar dinheiro no caixa

O capital de giro, também conhecido como ativo recorrente, é aquela reserva financeira especialmente guardada para suprir as necessidades da empresa nos momentos mais apertados. Praticamente toda pequena empresa tem sua sazonalidade, seja ela em decorrência de datas comemorativas (picos e vales de vendas), ou do clima (produtos que vendem mais em dias quentes ou frios), e isso afeta o faturamento de cada mês.

Para determinar o valor de capital de giro necessário e o momento em que este será utilizado, há alguns caminhos a seguir.

1. Crie uma planilha de fluxo de caixa e lance os recebimentos previstos. Se uma venda de R$ 1.000 é feita hoje, com previsões de pagamentos em quatro parcelas, lance na planilha o primeiro recebimento de R$ 250 para daqui um mês, outro para sessenta dias, e assim por diante. Assim, com todos estes recebimentos lançados, teremos uma visão melhor de quanto dinheiro a empresa terá em datas futuras. Para as semanas seguintes, preveja faturamentos.

2. Coloque nesta planilha de fluxo de caixa os pagamentos (contas a pagar) futuros que a empresa terá. Para contas fixas como aluguel, salários de funcionários, entre outras, basta lançar os valores com base nos números atuais. Para gastos variáveis – impostos, compras de mercadorias, embalagens, comissões, entre outros – inclua os valores com base nas vendas previstas. Se historicamente sua empresa paga 10% de impostos sobre as vendas, podemos prever que nos meses seguintes este percentual permanecerá próximo disso.

 

Leia também – Quais as vantagens de antecipar recebíveis?

 

3. Calcule a diferença entre os recebimentos e os pagamentos para ter o saldo previsto da empresa no futuro. Com esta previsão, o gestor saberá quando terá saldos positivos e negativos e qual o valor destes saldos. Com essa dinâmica estabelecida, você poderá tomar decisões hoje para evitar entrar no vermelho no futuro.

4. Outra estratégia interessante para diminuir a necessidade de capital de giro é fazer provisões de caixa para determinadas contas, como férias, 13º salário, IPVA de veículos, seguros, etc. Quando a conta chegar haverá dinheiro já reservado para seu pagamento, sem causar susto e necessidade de buscar dinheiro fora da empresa.

Vale frisar que uma empresa que apresente saldo negativo em alguns meses do ano pode ser uma empresa sadia e lucrativa, desde que o gestor se prepare para os momentos difíceis de caixa, poupando nos meses bons.

 

Leia também – 3 passos pra tirar sua empresa do vermelho

 

Para aqueles que são novos em seus negócios e ainda não possuem histórico para fazer uma boa previsão de vendas e de pagamentos, talvez uma boa forma de determinar o capital de giro de sua empresa seja estimar aproximadamente três vezes a somatória dos gastos fixos como reserva. Ou seja, se tudo correr muito mal, haverá saldo para a empresa se sustentar por aproximadamente três meses, desde que os prazos negociados para recebimentos com os clientes não sejam tão longos.

 

Fonte: Exame

Posts relacionados

Crise: preocupar-se ou ocupar-se?

Crise: preocupar-se ou ocupar-se?

Todos sabemos que resultados atraem resultados. Porém, a grande questão é: como obter o primeiro resultado? Não é nada fácil. […]

Leia mais
5 coisas que aprendi com o livro Pense Simples, de Gustavo Caetano

5 coisas que aprendi com o livro Pense Simples, de Gustavo Caetano

Hoje resolvi começar uma série de posts onde vou colocar alguns aprendizados que obtive pelos livros que estou lendo. Já […]

Leia mais
Quais as vantagens de antecipar recebíveis?

Quais as vantagens de antecipar recebíveis?

Algumas empresas utilizam frequentemente capital externo, vindo de bancos, financeiras e antecipações de recebíveis, para suportar suas operações financeiras e […]

Leia mais

Podemos guardar cookies?

Clicando em "Sim" você concorda em armazenar cookies no seu dispositivo para promover marketing personalizado, melhorar sua navegação e experiência em nosso site. Acesse nossa Política de privacidade.